Menu

Mundial 2018: O Brasil perfeito de Tite derrotou o Uruguai

Mundial 2018: O Brasil perfeito de Tite derrotou o Uruguai

O Brasil manteve quinta-feira a perfeição na "era" Tite e reforçou a liderança da zona sul-americana de apuramento para o Mundial de 2018, ao vencer no Uruguai por 4-1, na 13.ª jornada, com um hat-trick de Paulinho.

O ‘improvável’ jogador do Guangzhou Evergrande, aos 19, 52 e 90+2 minutos, e o ‘inevitável’ Neymar, que aos 74 apontou o seu 51.º golo em 76 jogos pelo "escrete", selaram o sétimo triunfo em sete jogos dos brasileiros sob o comando de Tite.
Com este triunfo, o nono na qualificação e o quarto fora, o Brasil passou a somar 30 pontos, selando, praticamente, um lugar na fase final do Mundial2018, marcado para a Rússia, já que o Uruguai, segundo colocado, já está a sete pontos.
Os uruguaios até foram os primeiros a marcar, logo aos nove minutos, por intermédio de Edinson Cavani, de penálti, para o seu nono golo na qualificação, depois de sofrer falta de Alisson, na sequência de um mau atraso de Marcelo.
Em desvantagem tão cedo, perante um conjunto que vencera os seis jogos efectuados em casa, o Brasil manteve-se tranquilo e, aos 19 minutos, Paulinho, com um ‘tiraço’ de fora da área, após passe de Neymar, restabeleceu a igualdade.
Apesar de os uruguaios terem tido algumas ocasiões pontuais, os "canarinhos" estiveram quase sempre por cima e no início da segunda metade, aos 52 minutos, Paulinho "bisou", na recarga a um remate de Firmino defendido por Martin Silva.
Aos 74 minutos, um alívio de Miranda transformou-se num passe a isolar Neymar, que deixou para trás Coates, já "amarelado" por falta sobre o jogador do FC Barcelona, e fez um vistoso "chapéu" ao guarda-redes uruguaio.
Já em período de descontos, aos 90+2 minutos, Paulinho conseguiu o hat-trick, ao encostar com o peito para a baliza uruguaia, depois de um cruzamento da direita de Dani Alves.
O guarda-redes Ederson (Benfica) não saiu do banco dos brasileiros, enquanto Maxi Pereira (FC Porto) e Coates (Sporting), que passou um tormento com Neymar, actuaram os 90 minutos no conjunto celeste.
Provisoriamente, a Colômbia ascendeu ao terceiro posto, com 21 pontos, ao vencer, de forma sofrida, por 1-0 na recepção à Bolívia, na abertura da ronda.
O "capitão" James Rodríguez decidiu um jogo de sentido único, ao marcar, aos 83 minutos, na recarga a uma grande penalidade que ele próprio falhou e Carlos Lampe defendeu, mas, para seu azar, para onde estava o jogador do Real Madrid.
Fontes: Publico/Lusa

back to top