Menu

Festival Baía das Gatas arranca nesta sexta-feira

Festival Baía das Gatas arranca nesta sexta-feira

O músico Vasco Martins, este ano a celebrar os 60 anos de vida, tem, mais uma vez, a responsabilidade de abrir, esta sexta-feira, 12, o palco do Festival Internacional de Música da Baía das Gatas.

Um dos fundadores do festival, nos idos de 1984, Vasco Martins, músico e compositor com mais de 20 discos gravados, para além nove sinfonias, convidou para o acompanhar na abertura, Tchalê Figueira (percussão e voz), Ana Azevedo (voz) e Mamadou Sulabanku (voz).
Tido como o único em Cabo Verde como músico clássico devido às suas incursões na música para orquestra sinfónica, Vasco Martins é tido também como músico “new age” e de jazz, devido às composições de carácter instrumental, sempre inspirado na música tradicional cabo-verdiana.
Segue-se no alinhamento do festival, que este ano traz o lema “Pela igualdade e diversidade cultural”, um trio de vozes femininas consagradas, composto por Jaqueline Fortes, Fantcha e Lura.
Jaqueline Fortes, que nasceu no Senegal, descendente de cabo-verdianos, cresceu com a vontade de descobrir Cabo Verde, cujo solo pisou pela primeira vez em 1979, contava ela já 25 anos.
Gravou o seu primeiro disco, “Seis Anos na Tarrafal", em 1981, ao que se seguiram os álbuns “Diálogo”, em 1987, "Coraçon Calma", em 1990, e “Valor di Amor ", em 1996.
O seu mais recente CD denomina-se “Terra d'nhas Gente", gravado em homenagem “a um sentimento crioulo” que a afligiu no dia em que pisou pela primeira vez Cabo Verde.
Foi celebrizada com a composição “Marid exemplar”, de Faria Júnior, que continua a ser uma referência na sua carreira.
Fantcha, por seu lado, “menininha de Soncente” (menina de São Vicente), foi cedo influenciada por Cesária Évora, que a introduziu nas noites cabo-verdianas do Mindelo, mas ainda criança, em casa dos pais, o maior prazer dela era cantar com seus dois irmãos que tocavam guitarra e cavaquinho.
Alguns discos gravados e muitos concertos no país e no estrangeiro depois, Fantcha pisa o palco do festival da baía com o seu timbre característico na interpretação seja da morna, da coladeira, do samba e de outros estilos musicais.
Lura, por seu lado, uma das vozes femininas mais conhecidas de Cabo Verde, lançou recentemente o álbum “Herança”, que tem alcançado sucesso a nível internacional.
Com este álbum, foi distinguida na 6ª edição do Cabo Verde Music Award (CVMA) com os títulos de “Melhor Coladeira”, com a música “X da questão”, e de “Melhor Intérprete” feminino, condição em que chega ao 32º festival da Baía das Gatas.
Ainda na sexta-feira, a anteceder a actuação do brasileiro Xande de Pilares, palco reservado a um trio de jovens, todos com raízes em Cabo Verde e na França, da designada música moderna cabo-verdiana, nomeadamente ATIM, Mika Mendes e Elji.
ATIM é um jovem franco-marroquino que cresceu em França ao lado de amigos cabo-verdianos que influenciaram a sua carreira musical. Canta em crioulo e português e lançou o seu mais recente CD “Love & Kizomba”, este ano, com temas sucesso como “Tá me doé”, “Bella”, “Serás a dona”, sendo o mais recente “Cupido”.
Mika Mendes, filho do conhecido músico Boy G. Mendes, por seu lado, também nasceu em França, mas com raízes fortes em São Vicente. Com o seu último CD ascendeu a um patamar muito elevado no mundo do Kizomba, com turnê internacional, concertos e festivais.
Elji, também conhecido por Beatzkilla, é natural da Boa Vista, mas cresceu entre França e os EUA, e é um dos mais respeitados produtores da música moderna de Cabo Verde, um “showman” em palco, cujo mais recente CD foi bem aceite nos admiradores da música que produz.
A responsabilidade de baixar o pano no primeiro dia do festival fica a cargo do cantor e compositor brasileiro Xande de Pilares, que fez parte do Grupo Revelação, como vocalista, por mais de 20 anos.
Navega no samba e no pagode, canta e toca cavaquinho e o tema “Deixa acontecer” é tido como um dos seus maiores êxitos.
Após deixar o Grupo Revelação, Xande de Pilares dedicou-se a uma carreira solo e actualmente está na estrada, no Brasil, a apresentar o seu novo disco "Perseverança".
Fonte: Inforpress

back to top