Menu

Consumo de produtos agrícolas locais nos hotéis aumenta 250% em Cabo Verde


Introduzido no Parlamento o debate sobre “O papel do agro-negócio no desenvolvimento de Cabo Verde”, Eva Ortet atribuiu tal evolução ao dinamismo que o sector agrícola vem ganhando no arquipélago com o empenho do Governo em criar um sector agrícola moderno.

Ortet disse que o seu Governo pretende criar um sector agrícola não só moderno mas também robusto e capaz de garantir o aumento da produção e da produtividade, da sustentabilidade e da segurança alimentar com vista a contribuir para um país “mais inclusivo, justo e próspero”. De acordo com os dados apresentados por Eva Ortet, a quantidade de produtos agrícolas fornecidos aos estabelecimentos hoteleiros, antes importados na sua grande maioria, passou de 57 toneladas em 2010, para 168 em 2011 e 608 toneladas em 2013. Na sua intervenção, a governante recordou que o Executivo elegeu o sector do agro-negócio como um “impulsionador do desenvolvimento e um instrumento fundamental para revolucionar o trabalho no campo e qualificar a produção agrícola”.
Segundo ela, os agricultores já começaram a interiorizar a ideia de que o agro-negócio constitui um factor de desenvolvimento económico e social e que os investimentos feitos no sector são um mecanismo de gerar riquezas e assegurar o acesso ao rendimento e bem-estar.
 “Esta é a via para garantir a irreversibilidade da transformação em curso no mundo rural, com base numa visão” e orientações estratégicas mais adequadas à conjuntura actual, disse Eva Ortet, para quem, no entanto, é preciso aproveitar as potencialidades e oportunidades existentes que se abrem para o ‘cluster’ do agro-negócio.
Para Eva Ortet, tudo isso justifica o “ambicioso” programa de mobilização de água que está a ser implementado “com sucesso” pelo Governo. Neste sentido, ela apontou a inauguração, em 2013, de três novas barragens, estando em curso mais cinco, e os trabalhos de perfuração, ordenamento e requalificação em várias bacias hidrográficas e adução de água para a rega.
Eva Ortet destacou igualmente a aposta que vem sendo feita na construção de centros de pós-colheita e processamento de produtos nas principais ilhas agrícolas e na investigação aplicada.
 “Estamos a trabalhar para a criação de melhores condições para que este sector assuma, como lhe compete, a liderança no desenvolvimento de actividades económicas no domínio do agronegócio”, anotou a ministra. A responsável pela pasta da Agricultura em Cabo Verde destacou que tudo o que o Governo já fez demonstra a sua determinação em criar as bases “sustentáveis e numa perspectiva de médio e longo prazo para a actuação do sector privado”.
A este propósito, ela confirmou um interesse crescente de investidores nacionais e estrangeiros no agro-negócio, além de pedidos de parceria por parte de promotores de novos negócios neste domínio.
Fonte: Inforpress

Last modified onSunday, 06 April 2014 22:24
back to top